EU E MEUS EU'S


 
Sou um engano, fugitiva de mim mesma. Em espírito sou anjo, de luz, que delicia sensibilidades e afaga necessitados. Sou muitos EUs. Alguns em sublime sabedoria de Deus e outros em profundezas sombrias.  Uns  a serviço da arte, outros ao desserviço desta. Existe um EU da natureza, dos matos, das sanhas e manhas da terra. Outro da selva de pedra, do glamour da Avenida Paulista, com seus edifícios de poder. (e de primos ricos)
Morro todos os dias, em falsas loucuras, quando faço intrigados os outros ao sublimar em artes ou me refugiar  em cultura fastfood. Enquanto isto me protege a loucura que aos olhos menos atentos é sofrimento, mas que no fundo é prazer. Ou melancolia. Uma louca, maravilhosamente, louca  persona.
Ainda assim, finjo crenças e  sentimentos que não possuo para omitir de mim outras crenças e sentimentos que não posso oferecer pois estão presos nas profundidades de meus dramas. Hipocrisia, “eu quero uma pra viver”, ou seria ideologia?
As lutas são internas, não posso revelar sob prejuízo de perder a exclusividade de defender as minhas ideias. E em dias se sol e calor, chuvas ou frio, ninguém tem mais ideologia, causas ou rebeldias. Está tudo exposto,  aberto e banal. 
E a natureza de mim mesma  floresce na loucura da fé não expressa. Eu não sei rezar... Me recolho aos meus livros, perdida em mim, em sonhos, não realizados, construído personagens, afagando necessitados, iluminando sombras alheias na esperança de que as minhas ignorâncias deixem em paz os meus EUs.  “Assim caminha a humanidade” disse uma banda de rock de meu tempo.
glaucia
set/2012

Postagens mais visitadas