SÓ NA MULTIDÃO


Sob tanta informação, tantas ideias e tão poucos ideais, as novas gerações movimentam-se freneticamente entre aulas, esportes, mídias sócias, eventos e pouco tempo sobra para um passeio calmo, uma conversa edificante com alguém mais experiente.
Conversar com o mais experiente parece obsoleto quanto temos o pai de todas as experiências na ponta dos dedos, literalmente carregado em iphones, ipeds, celulares, notes e outras tecnologias.
Nossos “velhos” já não sabem mais das coisas, suas ideias se não foram registradas, estão obsoletas. E a arte, a arte não faz mais sentido. Ninguém “curte” uma poesia, uma pintura que não venha de montagens e efeitos de photoshop ou instagram.
Por outro lado, percebe-se uma carência coletiva de profundidade que parece levar as pessoas jovens a uma ansiedade de viver tudo de uma vez, como se faltasse ar, assumindo inúmeros eventos, conversas, bate-papos, como se buscassem no meio de toda esta multidão algo que fizesse sentido.
Buscam fora o que está por dentro. O estado mental conduz a realidade, de forma a produzir  realizações. Quando formos capazes de educar nossos estados mentais, seremos capazes de assumir e deliciarmo-nos com todas as alternativas que o novo mundo nos oferece, com felicidade e ética.
glaucia, março / 2013

Postagens mais visitadas