MEDO EM MOVIMENTO É CORAGEM



Que o medo, maior que minha maturidade, não me trave os olhos,
Não me tire as forças da vida
Dê-me apenas a vida!
Que o perder não me paralise os ossos ou as vísceras,
Não me corroa a alma, não se transforme no inferno
Que seja apenas um inverno!
Que a angustia do medo não me ronde a porta dos fundos,
Não me assalte em noites escuras
Não me envolva em bruma de desilusão.
Que o perder não me faça refém,
Não me amoleça as pernas, nem afrouxe os sentidos
Que o medo, o medo do perder, o perder –se do medo, não me seja muleta para fuga
Que eu feche os olhos e no medo em movimento seja coragem.
Glaucia, março de 2013

Postagens mais visitadas