REDES DE RELACIONAMENTO AJUDAM A IMPULSIONAR CARREIRAS PROFISSIONAIS

O mercado profissional está cada vez mais exigente e competitivo e para se manter ativo neste ambiente, seja como colaborador ou empreendedor, é preciso muito mais do que experiência e competência. É importante criar vínculos e referências, gerando redes de relacionamento por meio de networking. Essa construção da relação de parceria com diversos públicos, como amigos, clientes, fornecedores, investidores, formadores de opinião, entre outros, é fundamental não apenas para se manter no mercado de trabalho, mas para que o profissional se mantenha atualizado e construa valor percebido em relação às suas próprias competências.

Segundo a professora e coordenadora do Núcleo de Gestão da Carreira da EMPZ Educação, conveniada à Fundação Getulio Vargas (FGV) em Goiás, Gláucia Ribeiro, a pessoa que quer criar uma rede de relacionamento, até mesmo como forma de impulsionar a carreira, deve estar sempre em contato com amigos, promover debates e encontros periódicos, e deixar a informação fluir por diversos canais. “Uma rede se constrói também sobre reconhecimento. Participe de forma engajada em seus ambientes de interesse, faculdade, igreja, MBA ou outros. Seja dedicada ao que faz, entregue o melhor de si, ainda que as condições pareçam desfavoráveis. Saia da posição de o que vou ganhar para a posição o que vou oferecer”, garante.

Entretanto, Gláucia explica que não basta apenas ter a ideia e querer construir uma rede de relacionamento, é necessário avaliar se o profissional ou o empreendedor realmente desejam estar juntos daqueles contatos, se está coerente com seus objetivos de vida e se faz sentido para seu presente e para o futuro. “É preciso foco. Num sentido mais subjetivo, é natural que criemos vínculos, espaços e que estes tenham o foco que queremos. Fazer contatos artificiais só porque esta ou aquela pessoa pode lhe servir é mercenário e não se sustenta. É preciso ser honesto, verdadeiro e generoso. Ofereça o seu melhor e estará construindo redes”, enfatiza.

Amizade vale mais do que tesouro
Quando se trata de criar conexões com as pessoas certas, os amigos vêm em primeiro lugar. “Amigos não são contatos superficiais de redes de relacionamentos virtuais. São aqueles que sabem quem é você e que você sabe quem são. Ou seja, faça amizades verdadeiras. Apesar de não ter tanta intimidade com alguém, pare, ouça e conheça a pessoa. Passe a entender as competências mútuas e até mesmo compartilhar pequenos sonhos. Deixe que a rede aconteça”, orienta Gláucia.

As redes sociais também têm hoje, exercido papel de facilitador de relacionamento, principalmente por encurtar o acesso. A professora da EMPZ Educação afirma que é possível abordar com mais liberdade pela rede social, o que, às vezes, não é feito por telefone, carta ou visita, por exemplo. “Contudo, acessar alguém só faz sentido para construção de um relacionamento se este for interessante também para o outro. A linha entre fazer contato profissional e assédio, no sentido de invasão, é tênue e se não tiver cuidado pode ser um tiro no pé”. Outra forma de gerar resultados na construção de redes de relacionamento consistente é ao participar de eventos, cursos e MBAs. Nesses ambientes, reforça Gláucia, as pessoas estão interessadas no mesmo tema ou pelo desempenho de outro profissional. “Todos estão na mesma vibe”, conclui.


08/05/2015 (FONTE: JORNAL DIÁRIO DA MANHÃ, CADERNO ECONOMIA)

Postagens mais visitadas