domingo, 8 de dezembro de 2013

TIC-TAC

Tempo que segue lento
Em desalinho e desalento?
Alma que se contorce no tic-tac dos dias!
Um  senhor sábio na condução de todas as coisas.
Corrija os desatinos e abram-se as cortinas!

Quanta ilusão cega os olhos do crédulo!
Banhadas em esperanças!
Fantasiadas  de fé...
Alma que se contorce no tempo sob a dor da espera...
À espera do fim no tic-tac das horas.

Eu te ouvi pela manhã  Ouvi sua força e sua fé Manhã de céu azul veludo São tantos pontos Tantos lamentos São sons e dons Em alças de te...