REFLEXÕES DE FINAL DE ANO I

Sobretudo no natal ficamos mesmo cheios de quereres. Acho que nesta época nos comportamos, com o Pai Maior, feito criança no supermercado.

Mas a despeito de tanto comércio, bom mesmo e sonhar!
Neste Natal levarei dois sonhos e um bocado bom de esperança. O resto fica no passado. Reconhecemos a luta.

Minha Batalha Interior não tem fim. Ela, por muito, residiu nas tardes de domingo, em  madrugadas insones e vagueou feito assombração na ânsia de me fazer sombra ao sol.
Depois,  ah depois. Ela deu - me experiência.
E os anjos, guarita.  Nos tranformamos equipe.

Eu e minha Batalha vamos de mãos dadas para 2014, sermos felizes.

(Alusão ao livro de Fabricio:Batalha Intrior-Escolhas da Vida.)

Postagens mais visitadas