Palestra - Método Anat Baniel

Recebemos em Goiânia uma celebridade do mundo da esperança.  Veio trazer boas novas! Estive lá e transcrevo abaixo o que entendi. A mensagem, para mim, é de fé.

Sobre a palestrante:
Karinne  Barlow é goiana, teve um filho com paralisia cerebral, pesquisou e descobriu o Método Anat Baniel na internet, em São Francisco. Foi até lá e levou o filho. Frente aos resultados ficou, estudou 4 anos com  Anat e tornou-se terapeuta. Atua com crianças PC, autista, down, atletas, dores crônicas. ..

Sobre o  metodo:
O método, desenvolvido pela psicóloga Anat Baniel,  baseia-se no conceito de plasticidade neuronal segundo cientista chamado Merzenick e os experimentos práticos do método Feldencrais. Foi aluna dele.

Sobre o embasamento do Método:
Anat Baniel é psicóloga de formação e israelense. O pai foi um cientista importante na região dela e era amigo de um fisiologista também dedicado a ciência chamado Feldencrais.  Feldencrais, desenvolvera na prática o método de terapia para terapia ortopédica, muscular, envolvendo estimulação do cérebro que leva seu nome. Ele teve uma fratura em si mesmo e aplicara técnicas para curar a si mesmo via estímulo de outras atividades para o cérebro. Logo em seguida, em outro lugar surgem as pesquisas de Merzenick que subsidiam o método de Feldencrais.   Meezenick fez experimentos com gatos. Ele suturou um olho e depois de algum tempo ao liberar este olho, o mesmo estava cego e a região do cérebro que correspondia a ele havia tomado conta do outro olho. Ele postula que plasticidade neuronal é do cérebro e nada tem haver com faixa etária da pessoa. Em qualquer idade existe a plasticidade como uma "habilidade" do cérebro. Nesta base Anat começou a atender crianças PC, autistas e com outras disfunções.
O método não tem objetivo de desenvolver funções específicas. Por exemplo, não tem uma técnica para desenvolver o controle de cabeça. As técnicas são globais. Os estímulos são a partir do que a criança está fazendo no momento. O método consiste em acrescentar novos elementos na ação da criança para que ela construa um mapa da maneira que ela pode.

Sobre os principios:
Ela cita na palestra 9 princípios que embasam a aplicação do método:
1. A atenção- a criança deve estar concentrada na atividade. Não há aprendizado se ela não estiver atenta.
2. Tempo- o tempo da criança deve ser respeitado. Deve haver cuidado com aceleração massiva do dia a dia. Deve-se respeitar o tempo e reduzir o ritmo. Inclui-se a própria ansiedade dos país, cuidadores no momento da ação.
3. Variação- uma atividade deve se relacionar com outra atividade sempre. Fundamental as Celebrações dos erros. Os erros devem ser celebrados e até mesmo incentivados.
4. Sutileza-  Os estímulos novos devem ser sutis, delicados, até mesmo discretos. "Quanto maior a intensidade menor a sensibilidade" (Weber - Fechner).
5. Entusiasmo- o terapeuta, os pais, quem está com o cliente, precisa acreditar honestamente, e demonstrar isto, no potencial da criança.  Ela fala de neurônios espelho que comprovam a capacidade instintiva observarmos e repetirmos conexões.
6. Flexibilidade de objetivos - não antecipar, não fixar em objetivos quem criança talvez não esteja pronta. Estar aberto para o que vier. Não fixar em uma posição para o filho.
7. Interruptor do aprendizado- atentar para o estado da criança. Dores, cansaços ou outros fatores fisiológico emocionais que impedem o aprendizado.
8. Imaginação- imagine com a criança. Entre no sonho com ela. Crie cenários. O sonhar, imaginar, cria conexões e traça mapas no cérebro.
9. Auto- conscientização (neologismo - sem tradução)- fazer com que a criança tenha percepção do que está fazendo. O profissional ou a mãe, pai, que esteja consciente de si, de suas ansiedade e de seu próprio controle.

Pontos marcantes:
* o mapa corporal é limpo quanto mais bebê, o que não quer dizer que novos mapas não possam ser construídos.
* o cérebro de hoje e sua habilidade deve ser respeitado.
* o processo deve ser apreciado. Não se pode apressar o rio.

Acreditar que tudo ficará bem. Tudo dará certo no final.

26 de abril de 2014

Postagens mais visitadas