segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

A SEQUIDÃO DE SUA BOCA


O tempo te seca,
resseca,
esfria,
resfria,
endurece,
recrudesce.
Tens o sabor da marmita fria,
a temperatura da água sem vida, 
os tons de gente sofrida.
Chove lágrimas secas,
telhado rangente,
vento tangente,
parede descascada.
Na boca o silêncio de palavras engolidas,
arranham pensamentos soltos e desconexos,
sem compromisso,
sem isto,
sem aquilo. 24/02/2014 08:00:46  

Eu te ouvi pela manhã  Ouvi sua força e sua fé Manhã de céu azul veludo São tantos pontos Tantos lamentos São sons e dons Em alças de te...